Conheça o podcast Cruzamentos literários

A primeira temporada de Cruzamentos literários, disponível no Spotify e no YouTube do Oceanos e do Instituto Camões em Brasília, apresentou conversas entre curadores e escritores de cinco países de língua portuguesa – Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal. Resultado de uma parceria entre o Instituto Camões, a Fundação Calouste Gulbenkian e a Associação Oceanos, o podcast integrou a Programação Cultural da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia.

Os 12 episódios da primeira temporada procuraram mostrar como poetas e ficcionistas de diferentes nacionalidades partilham a herança cultural da língua portuguesa e valorizam sua plurinacionalidade. Acompanhamos conversas da portuguesa Isabel Lucas com a moçambicana Paulina Chiziane e os brasileiros Cristovão Tezza e Noemi Jaffe; do brasileiro Manuel da Costa Pinto com os portugueses Mário de Carvalho e Dulce Maria Cardoso e o cabo-verdiano José Luiz Tavares; do angolano Ondjaki com a brasileira Ana Maria Gonçalves, o português José Luis Peixoto e o moçambicano Mbate Pedro; e da brasileira Rita Chaves com os angolanos Pepetela e José Eduardo Agualusa e o brasileiro Milton Hatoum.

O que aproxima e o que afasta a produção literária dos autores convidados?

No primeiro episódio, o diálogo entre Isabel Lucas e Paulina Chiziane, primeira mulher moçambicana a publicar um romance, ajudou-nos a entender melhor a diversidade cultural de Moçambique e da própria língua portuguesa. De forma direta e bem-humorada, foram discutidos temas como a poligamia, o racismo e a tradição oral na literatura.

Já na conversa de Isabel com o escritor Cristovão Tezza, pudemos refletir sobre a relação entre a literatura e o tempo presente, o atual panorama da produção literária brasileira e questões filosóficas que alimentam a obra do autor, principalmente o romance A tirania do amor, finalista do Oceanos 2019.

Por fim, no episódio de Isabel com a escritora Noemi Jaffe percorremos, a partir do ensaio literário O que os cegos estão sonhando?, temas como o testemunho, a memória familiar e a linguagem, com um olhar sempre atento para o Brasil atual.

Clique nas imagens e acesse o link direto para os episódios conduzidos por Isabel Lucas, no Spotify:

 

 

 

 

 

 

 

O primeiro episódio apresentado pelo jornalista Manuel da Costa Pinto trouxe um diálogo com o premiado escritor Mário de Carvalho. Entre outras particularidades da obra de Mário, foram discutidos temas como o fantástico, a política e o sexo.

A produção poética e o percurso de José Luiz Tavares como escritor e tradutor foram alguns dos assuntos abordados no episódio seguinte, em conversa de Manuel com o poeta. O episódio tratou ainda de tradução literária (José Luiz traduziu Camões e Fernando Pessoa, entre outros escritores, para o crioulo cabo-verdiano) e das principais referências literárias do poeta.

No dia 10 de junho, na celebração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o podcast trouxe reflexões sobre a identidade portuguesa, a ficção e a memória, levantadas por Dulce Maria Cardoso. A escritora discorreu também sobre a construção de sua própria obra, sobretudo a partir do romance Eliete – A vida normal, vencedor do Oceanos 2019.

Acesse o link direto para os episódios conduzidos por Manuel da Costa Pinto, no Spotify:

 

 

 

 

 

 

 

Na sua estreia como curador do podcast, o escritor Ondjaki conversou com a escritora Ana Maria Gonçalves sobre a representação do negro na literatura, racismo estrutural e o lugar da mulher negra na sociedade brasileira. A autora de Um defeito de cor revelou também detalhes da construção da obra num percurso sensível e político.

A série contou ainda com um diálogo entre Ondjaki e o escritor José Luís Peixoto. Autor de 20 livros, entre ficção, poesia, literatura de viagem e títulos infantojuvenis, Peixoto discutiu sua trajetória como escritor e a relação íntima entre autobiografia, literatura e memória – tão presente em seu último romance, Almoço de domingo.

Por fim, Ondjaki, compondo um sensível diálogo entre dois escritores africanos, conversou com o poeta Mbate Pedro sobre as origens da poesia, o exercício literário e a importância da produção literária nos países de língua portuguesa do continente africano, entre outros assuntos. Mbate Pedro foi finalista do Oceanos 2018 com o livro de poemas Vácuos, editado em Moçambique pela Cavalo do Mar e no Brasil pela Cepe Editora.

Acesse o link direto para os episódios conduzidos por Ondjaki, no Spotify:

 

 

 

 

 

 

 

A professora brasileira de literaturas africanas Rita Chaves, quarta curadora do podcast, conduziu de início uma conversa com o escritor Pepetela, autor de Mayombe, entre mais de 20 romances, revelando um percurso sensível pela obra de “um escritor que olhou para o mundo a partir de Angola e para Angola a partir do mundo”, nas palavras de Rita.

Ao longo da série, Rita conversou também com o premiado escritor Milton Hatoum sobre política, História e a configuração do espaço brasileiro – elementos que balizam sua obra ficcional –, entre muitos outros temas.

Por fim, foi apresentado um diálogo entre Rita e o escritor José Eduardo Agualusa sobre a relação dos escritores e leitores nascidos em África com a língua portuguesa.  O escritor também abordou temas como o lugar das literaturas africanas no mundo, a memória e o colonialismo.

Acesse o link direto para os episódios conduzidos por Rita Chaves, no Spotify:

 

 

 

 

 

 

 

Os 12 episódios foram ilustrados com leituras das obras dos escritores convidados por grandes vozes da literatura brasileira. A escritora Veronica Stigger leu trechos de Niketche, de Paulina Chiziane, A tirania do amor, de Cristovão Tezza, e O que os cegos estão sonhando?, de Noemi Jaffe.

A atriz Carmem Moretzsohn interpretou trechos de diversos livros de Mário de Carvalho e Dulce Maria Cardoso, e o escritor Ronaldo Bressane leu fragmentos da obra de José Luís Peixoto.

Por fim, os poetas Roberta Estrela D’Alva e Ricardo Aleixo leram a produção dos demais convidados – ela, Um defeito de cor, de Ana Maria Gonçalves, e poemas dos livros mais recentes de Mbate Pedro; ele, poemas de José Luiz Tavares e livros de Pepetela, Milton Hatoum e José Eduardo Agualusa.

Parte das leituras foram reunidas em um episódio especial, apresentado em 5 de maio, em homenagem ao Dia Mundial da Língua Portuguesa. É possível acessá-lo aqui: