“Uma coisa é escrever um livro, outra é o que, como cidadão, posso fazer a cada dia”, afirma José Eduardo Agualusa sobre catástrofe em Moçambique

Durante a Feira do Livro de Leipzig, em entrevista a Isabel Lucas, curadora do Oceanos, para o PÚBLICO, o escritor angolano José Eduardo Agualusa conversou sobre o ciclone Idai, em Moçambique, e o papel político da literatura frente a catástrofes de dimensão global. “A política é tudo. E o que é a literatura? Os livros são territórios de debate. Se um livro não servir para fazer pensar no presente, na sociedade em que se vive, então serve para quê? Toda a literatura é política”, afirmou o autor.

Leia aqui, na íntegra, a entrevista com escritor.