Jamilson Valença: uma nova visão da região de Canudos, palco do clássico de Euclides da Cunha

Pescaria no Açude de Cocorobó | Foto: Jamilson Valença

Canudos não é como muitos falam: pobreza e seca”, diz Jamilson Valença (40), morador local. Mais de 110 anos depois da Guerra de Canudos, o bisneto de sobreviventes dedica-se tanto ao resgate histórico da antiga Canudos, destruída em 1897, quanto à valorização dos atrativos ecológicos e culturais do atual município. É uma cidade com um potencial incrível”, afirma.

O conflito entre o Exército Brasileiro e a comunidade liderada por Antônio Conselheiro, relatado por Euclides da Cunha no clássico Os sertões, tem sido por décadas o principal foco dos turistas que visitam o interior do sertão baiano. Guia turístico há 18 anos, Jamilson procura dar visibilidade também a outros aspectos da região.

O fotógrafo e guia turístico Jamilson Valença.

A Canudos de Jamilson é a terceira cidade da Bahia a receber o nome. A primeira teve origem em 1893, a 12 km da localidade atual. A segunda, construída por sobreviventes da Guerra de Canudos, surgiu em torno de 1910, sobre as ruínas do conflito.

Em 1940, o então presidente Getúlio Vargas, em visita ao local, decidiu construir um açude sobre o vilarejo, o que obrigou seus habitantes a migrar para diferentes pontos da região, incluindo a fazenda Cocorobó. O alagamento definitivo do território onde estava localizada a segunda Canudos deu-se em 1969. Cocorobó veio a tornar-se município em 1985 e é chamada, desde então, também Canudos, sendo esta a terceira.

Para Jamilson, o preconceito em torno da região, no interior do sertão baiano, prejudica o turismo local. A mídia que chega a Canudos fala que é uma cidade pobre, que não tem recursos, com mortalidade infantil muito elevada, o que não é verdade.” Como guia turístico e fotógrafo, ele busca transformar essa percepção. Trabalho para mostrar minha cidade como ela é, não só a Canudos que passou, histórica, da guerra, mas também a Canudos atual, com o que ela tem para oferecer.

“Um apaixonado por fotografia, como se intitula, Jamilson relata ter acompanhando fotógrafos do Brasil e do mundo para registrar imagens em diferentes pontos da região. Questionado sobre seu local preferido para fotografar, não hesita: o Mirante do Conselheiro, que proporciona vista para outros lugares de interesse, como a Represa de Cocorobó e a Toca das Araras.

Quanto à infraestrutura disponível aos turistas, Jamilson reconhece que há necessidade de melhora, mas estamos caminhando”, pondera. O guia turístico destaca sobretudo a importância de investimento das autoridades públicas em comunicação e turismo: Canudos precisa de divulgação”, completa.

Veja algumas fotos de Jamilson, disponíveis também em seu perfil do Instagram: @jamilsonguia.

Mirante do Conselheiro | Foto: Jamilson Valença

Açude de Cocorobó | Foto: Jamilson Valença

Açude de Cocorobó | Foto: Jamilson Valença

Urubu Rei | Foto: Jamilson Valença