Oceanos entre os acontecimentos mais marcantes de 2017

Dois mil e dezessete foi um ano cheio para o Oceanos. A internacionalização do prêmio garantiu a inscrição de livros em língua portuguesa publicados no mundo todo e a ampliação do seu júri, com a participação de profissionais do Brasil e de Portugal. Permitiu ainda não apenas um maior conhecimento de obras da literatura lusófona, no seu próprio território e além dele, mas o intercâmbio entre alguns de seus autores, que cruzaram o Atlântico nos dois sentidos para participar em eventos organizados pelo prêmio em espaços culturais, institutos educacionais, livrarias e festivais literários. O resultado dessas iniciativas teve o reconhecimento de dois dos principais veículos da imprensa brasileira e portuguesa.

 

Em sua retrospectiva, jornal Folha de São Paulo incluiu o Oceanos na lista dos fatos mais marcantes do ano, pela sua expansão, ao lado do vencedor do prêmio Nobel, Kazuo Ishiguro, do lançamento de inéditos de Ariano Suassuna e o nascimento da editora Todavia, entre outros.

 

Já o português Diário de Notícias apontou o Oceanos como um dos dez temas mais importantes da cultura, destacando a escritora Ana Teresa Pereira como a primeira mulher a vencer o Oceanos, “um dos mais relevantes para autores de língua portuguesa”. Além do Oceanos, o jornal distinguiu a vitória de Portugal pela primeira vez no festival Eurovisão da canção, os prêmios de cinema conquistados pelo país em Cannes e Berlim e a as exposições em Lisboa e Porto de Juan Miró, Almada Negreiros e Amadeo de Souza-Cardoso.

 

Ao longo de todo o ano a imprensa publicou várias notícias sobre o prêmio. Para conferi-las, clique aqui.