Prêmio Oceanos 2021

Livros inscritos

Concorrem à edição 2021 do Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa 1.835 obras publicadas em 10 países: Alemanha, Angola, Áustria, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Estados Unidos, Moçambique, Portugal e Reino Unido.

Conheça aqui a lista de obras inscritas no Oceanos 2021.

Neste ano, as edições do próprio autor somam 342 livros, representando 18,6% do total das inscrições – mais de 100% em relação à edição anterior do prêmio. O número de editoras participantes, por sua vez, totaliza 337, com sede em sete países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, França, Moçambique e Portugal.

Dentre todas as edições do prêmio, o Oceanos 2021 apresentou a maior diversidade no que se refere à origem dos autores. Participam escritores de Alemanha, Angola, Argentina, Brasil, Cabo Verde, China, Espanha, França, Haiti, Índia, Itália, Moçambique, Peru, Portugal, Rússia, Suíça, Timor-Leste e Venezuela, todos escrevendo e publicando originalmente em língua portuguesa.

Dentre as categorias avaliadas pelo Oceanos, poesia – com 835 livros – corresponde a 45,5% das inscrições. Os romances somam 594 obras e representam 32,4% do total; os livros de contos – 265 inscrições – perfazem 14,4%, seguidos por 103 volumes de crônicas – 5,6% – e 38 obras de dramaturgia – 2,1%.

 

Processo

Na primeira etapa, um júri composto por 95 profissionais – professores de literatura, críticos literários, escritores, poetas e jornalistas de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e Timor-Leste – lê e avalia as obras inscritas para escolher os 50 semifinalistas, que serão divulgados em agosto. Os jurados também elegem entre si os 14 membros dos júris das etapas subsequentes.

Conheça aqui os jurados da primeira fase do Oceanos 2021.

Na segunda etapa, o júri intermediário – formado por sete profissionais de pelo menos duas nacionalidades – será responsável por escolher os 10 finalistas entre os 50 semifinalistas. Na terceira e última etapa, o júri final – formado por outros sete profissionais de pelo menos duas nacionalidades – será encarregado da decisão dos três vencedores.

Todos os livros inscritos concorrem entre si, independentemente do gênero literário, pelas três premiações, com valor total de R$ 250 mil – R$ 120 mil para o primeiro colocado, R$ 80 mil para o segundo e R$ 50 mil para o terceiro.

A curadoria desta edição do prêmio é formada pela linguista Adelaide Monteiro, de Cabo Verde, a escritora e jornalista Isabel Lucas, de Portugal, e o jornalista Manuel da Costa Pinto, do Brasil, com coordenação da gestora cultural Selma Caetano.

Acesse aqui o Regulamento do Oceanos 2021.

 

Tecnologia

A tecnologia desenvolvida pelo Itaú Cultural permite que todo o processo – da inscrição no prêmio, da avaliação dos livros e da determinação dos resultados de cada etapa – seja realizado por meios virtuais. Dessa forma, os júris internacionais podem ler e avaliar, em uma plataforma digital, os livros que lhes cabem pontuar.

 

Mapeamento das Literaturas em Língua Portuguesa

Em 2021, com o apoio do Instituto Cultural Vale, o Oceanos iniciou um mapeamento mais aprofundado da produção literária em língua portuguesa, com a intenção de ampliar o conhecimento sobre as literaturas dos países membros da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Em sua primeira etapa, 32 professores de literatura – dentre o total de 93 jurados que avaliam as obras inscritas ao prêmio Oceanos –, são responsáveis por uma cartografia da produção literária de 2020, a partir de aspectos temáticos e estéticos do conjunto das 1.835 obras inscritas no prêmio.

Na etapa seguinte, os dados obtidos serão coligidos e tratados por especialistas. O resultado será compartilhado entre atores das cadeias cultural, editorial e livreira, como institutos culturais, universidades, editoras, livreiros e órgãos oficiais dos países da CPLP.

O objetivo principal do Mapeamento das Literaturas em Língua Portuguesa é construir um acervo não só bibliográfico, mas também documental, de utilidade pública, que possa gerar conteúdo para instituições culturais, públicas e privadas, e usuários em geral.  Dessa forma, pretende-se fomentar pesquisas, estudos e políticas culturais que contribuam para uma maior compreensão das proximidades e dos distanciamentos entre as diversas literaturas em língua portuguesa no contexto atual.

Para isso, algumas parcerias foram fechadas e o Mapeamento será apresentado em instituições como o Museu da Língua Portuguesa/SP, o Museu de Arte do Rio/RJ, o Gabinete Português de Leitura de Salvador/BA, o Museu Cais do Sertão/PE, o Memorial Minas Gerais Vale/MG, o Museu Vale/ES, o Centro Cultural Vale Maranhão/MA e a Casa da Cultura de Canaã dos Carajás/PA.

 

Parceiros

Além do patrocínio do Banco Itaú e da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), de Portugal, o Oceanos 2021 passa a contar também com a parceria do Instituto Cultural Vale. O prêmio segue, neste ano, com o apoio do Itaú Cultural, responsável pela governança do projeto, e do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde, e com o apoio institucional da CPLP.