Prêmio Oceanos 2017

Edição 2017

Em cerimônia no Itaú Cultural, no dia 29 de novembro de 2017, foram anunciados os

 

Vencedores do Oceanos 2017


Ana Mafalda Leite

A poeta e crítica literária portuguesa Ana Mafalda Leite anunciou o primeiro colocado: o romance Karen da portuguesa Ana Teresa Pereira. Ana Teresa (Funchal, Ilha da Madeira, 1958), que recebeu R$ 100 mil, é a primeira mulher a obter a primeira colocação nas 15 edições do prêmio, que foi criado em 2003 como Prêmio Portugal Telecom e, desde 2015, passou a se chamar Oceanos. Nas edições anteriores, as escritoras Beatriz Bracher, Marina Colasanti, Cíntia Moscovich, Elvira Vigna e Ana Martins Marques foram contempladas com diferentes colocações.

Veja aqui

 


Beatriz Resende

O segundo lugar foi anunciado pela professora e crítica literária Beatriz Resende: o premiado com o valor de R$ 60 mil foi o romance Machado, do brasileiro Silviano Santiago (Formiga, Minas Gerais, 1936).

Veja aqui 

 


Eucanaã Ferraz

O poeta e professor Eucanaã Ferraz anunciou o terceiro colocado, Golpe de Teatro, do poeta português Helder Moura Pereira, premiado com R$ 40 mil. Também professor e tradutor, Helder nasceu em Setúbal, Portugal, em 1949.

Veja aqui

 


António Guerreiro

A premiação para o quarto lugar, no valor de R$ 30 mil, foi anunciada pelo crítico literário português António Guerreiro: Simpatia pelo Demônio, do romancista brasileiro Bernardo Carvalho (Rio de Janeiro, 1960).

Veja aqui 

 

 

Clique aqui para conhecer os livros vencedores

 

Reunião de avaliação dos quatro vencedores, da direita para a esquerda: os jurados Maria Esther Maciel, Eucanaã Ferraz, Mirna Queiroz, Everardo Norões e Heloisa Jahn; a curadoria formada por Ana Sousa Dias, Selma Caetano, Marcelia Bezerra e  Manuel da Costa Pinto; e os jurados Beatriz Resende, Ana Mafalda Leite e António Guerreiro.

Clique aqui para conhecer os jurados que elegeram os 4 vencedores.

 

Finalistas do Oceanos 2017

A poeta Ana Mafalda Leite, o crítico literário António Guerreiro, ambos portugueses, as ensaístas Beatriz Resende, Eliane Robert Moraes, as editoras Mirna Queiroz e Heloisa Jahn, a escritora Maria Esther Maciel, e os poetas Eucanaã Ferraz, Ricardo Aleixo e Sérgio Alcides, todos brasileiros, avaliaram as obras semifinalistas para, em reunião presencial no Itaú Cultural no dia 17 de outubro, chegarem aos 10 finalistas.

Da direita para esquerda: na ponta, Heloisa Jahn, António Guerreiro, Eucanaã Ferraz, Ricardo Aleixo, Sérgio Alcides, Eliane Robert Moraes, os curadores Ana Sousa Dias, Selma Caetano e Manuel da Costa Pinto, Maria Esther Maciel, Beatriz Resende, Ana Mafalda Leite e Mirna Queiroz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os 10 livros finalistas tiveram edição apenas em seus países de origem: dois livros de poesia portuguesa, dois romances portugueses, quatro romances brasileiros e dois livros de contos brasileiros.

Dentre esses autores, Helder Moura Pereira, Ana Teresa Pereira e Ana Margarida de Carvalho nunca foram publicados no Brasil em livro próprio, e três brasileiros, Victor Heringer, Silviano Santiago e Elvira Vigna, nunca foram publicados em Portugal.

Esses dados mostram como o Oceanos contribui para promover o conhecimento recíproco entre as cenas literárias lusófonas e como o prêmio pode desempenhar um papel importante de radar da produção contemporânea.

Clique aqui para assistir o vídeo sobre os 10 livros

 

Os semifinalistas do Oceanos 2017

Os números de 2017 foram expressivos e mostraram que Oceanos veio para difundir obras de escritores em língua portuguesa para além de suas fronteiras nacionais.

1.215 livros foram inscritos nessa edição: 1.031 com 1ª edição no Brasil, 176 em Portugal, 1 em Angola, 1 em Moçambique, 2 em Cabo Verde, 2 em Espanha e 1 no Quênia;

O Júri da primeira etapa de avaliação foi formado por 65 profissionais do meio literário — 3 angolanos, 3 moçambicanos, 9 portugueses e 50 brasileiros.

Foram indicados 51 semifinalistas. Para isso, cada um dos jurados avaliou 50 livros entre os inscritos de modo que cada obra concorrente tivesse 3 leituras por diferentes jurados.

Clique aqui para assistir o vídeo com os 51 livros semifinalistas.

Entre os 51 livros semifinalistas — 31 de autores brasileiros, 19 de autores portugueses e 1 de autor angolano —, 49 nunca foram publicados em outro país de língua portuguesa.

Os 19 livros de autores portugueses publicados em Portugal não haviam sido publicados no Brasil e 11 de seus autores nunca tiveram obras lançadas no Brasil; e, dentre os 31 livros semifinalistas, apenas 1 tem edição em Portugal, sendo que 21 dos autores brasileiros semifinalistas são inéditos em Portugal.

Clique aqui para conhecer os 65 jurados que selecionaram as obras finalistas.

 

2017:  o ano da consolidação

2017 foi um ano de grandes avanços para o Oceanos. Na sua terceira edição, o concurso estendeu-se para todos os livros escritos em língua portuguesa, publicados em qualquer lugar do mundo, e incluiu no seu corpo de jurados profissionais do meio literário de vários países de língua portuguesa.

A ideia de contemplar todos os livros de literatura em língua portuguesa possibilita que as literaturas brasileira, portuguesa e africanas concorram em igualdade de condições e que a sólida literatura portuguesa contemporânea esteja representada de forma ampla, assim como as literaturas africanas.

Na estrutura anterior, quando o prêmio contemplava a literatura em língua portuguesa publicada por editoras brasileiras ou sediadas no Brasil, as literaturas de Portugal e África ficavam em desvantagem, como demonstra o número de livros brasileiros, portugueses e africanos inscritos ao prêmio no decorrer de suas edições.

Clique aqui para ver o quadro de livros inscritos ao prêmio no decorrer de 10 edições

Ao longo do ano, o Oceanos teve ampla divulgação na mídia nacional e internacional e foi apontado no Brasil e em Portugal como um dos acontecimentos mais marcantes de 2017.

 

Clique aqui para conhecer o que a imprensa publicou sobre Oceanos 2017